Reality Of Books: A Pressa de Conseguir Tudo aos 20 e Poucos Anos

A Pressa de Conseguir Tudo aos 20 e Poucos Anos

Olá pessoal. 
Como sabem, gosto bastante de fugir um pouco do assunto principal do blog quando vejo textos interessantes e me deparei com esse a alguns dias atras que imagino que muitos de vocês, assim como eu irão se identificar. Registrando que não é de minha autoria, vi no Casal Sem Vergonha e foi escrito por Daniel Bovolento. Espero que gostem.


Não consegui o emprego dos meus sonhos e muito menos o apartamento decorado que eu esperava ter. Mal consigo me organizar para viajar e conheci menos países do que gostaria de ter conhecido. Minha vida é uma bagunça, meu quarto é uma bagunça e eu passo mais de 12 horas por dia trabalhando, enquanto me sinto na obrigação de tentar ter uma vida saudável, passear com o cachorro, fazer exercícios físicos contra o sedentarismo, discutir política e me mostrar integrado aos últimos acontecimentos do mundo e do meu país. Mal sobra tempo para fazer nada.

Meus relacionamentos têm inícios mais rasos que piscininhas naturais formadas por ondas altas na areia de alguns litorais. Raramente passam do meio, estagnam nessa coisa louca das grandes cidades e se perdem nas prioridades que tento elencar enquanto passa o tempo. Desisti de voltar ao teatro porque dizem que eu já deveria saber sapatear, cantar, atuar e dançar antes da minha primeira peça, caso contrário, não entro nem na concorrência. Cada vez me sinto mais velho para tentar algo novo, já que eu deveria ter, supostamente, conseguido tudo aos vinte e poucos anos.

Não sei se essa pressão foi algo criado pela minha geração ou se já existia antes a ideia de que temos que ser jovens bem sucedidos, decididos e cheios de certeza quanto a vida aos vinte e poucos. Observo nascerem crises e mais crises de ansiedade e identidade em mim e nos meus amigos, com uma cobrança surreal pelo ideal de sucesso que criamos. Não nos basta seguir degraus escada acima de acordo com o tempo, desejamos supervitórias que condigam com os superpoderes que disseram que a gente tinha.

Mas, por mais afobados que sejamos, vejo crescer também uma leva de gente que tem feito coisas melhores cada vez mais cedo. O problema é que temos uma mania grande de comparar nossos feitos com os de pessoas da nossa idade, e daí vemos um astro do rock que ganha milhares aos 20 anos, uma super blogueira que estampa capas de revista aos 21, um empresário que emprega milhares aos 22. Olhamos para nossas vidas comuns, nossas fotos comuns, nosso “lifestyle” comum e nos denominamos ordinários. Não é falta de autoestima, é que cometemos o grande erro de não pensar nos caminhos que nossos modelos tiveram. É que analisamos o resultado direto mostrado pra gente, sem nem pensar em como nossas vidas foram diferentes em termos de escolhas e privilégios.

Além disso, criamos concepções irreais de como deveria ser nosso futuro imediato. Queremos estabilidade, tempo para viajar, reconhecimento na carreira, qualidade de vida, relacionamentos profundos, um cachorro que nos ame, vizinhos que não façam barulho depois das 22h e motoristas de ônibus que parem para a gente quando estamos atrasados sem perceber quão sonhadores nós somos ao desejar isso. Nossa vida adulta começa lá pelos 20 anos, como é que a gente já quer ser recebido com tantas glórias sem nem lutar um pouco para que elas cheguem?

É necessário que a gente desacelere. Que a gente entenda que essas cobranças são frutos de uma sociedade que nos criou achando que devemos fazer tudo cedo demais e que o sucesso vem fácil pra quem tenta. Não vem, mas isso não significa que devamos deixar de tentar. Pelo contrário, devemos tentar cada vez mais. Devemos começar mais vezes, devemos percorrer os objetivos que nos frustram por não termos conseguido alcançá-los de primeira. Eu, por exemplo, estou vendo condições para voltar às aulas de teatro, mesmo sendo desbancado por algum desses prodígios que já sabem fazer piruetas. E espero que você também repense sobre as coisas que ainda não aconteceram. Talvez elas só demorem mais um pouco para acontecer, talvez você só precise cobrar menos de você mesmo e confiar mais um pouco. É o que eu tenho tentado fazer.

24 comentários:

  1. Olá minha linda,
    amei demais esse texto, em alguns pontos me vi nele.. Vou lá conhecer o blog do Daniel.
    Beijocas.

    meumundosecreto

    ResponderExcluir
  2. Daniel falou tudo e mais um pouco! Muitas vezes, somos nosso pior inimigo. Desacelerar e apreciar a paisagem é fundamental!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, eu me vi neste texto. E tanta pressão, tantos sonhos que ainda não foram realizados, tantas coisas que mudaram. É difícil as vezes nos vermos dentro da sociedade. Difícil nos sentirmos encaixados. Eu adorei esse texto, rwalembte me definiu em muitos sentidos.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Texto bem reflexivo e acredito que todos nós vemos nele, nem que sejapelo menos em uma parte.
    Realmente precisamos nos cobrar menos é confiar mais...
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Minha nossa como eu me vi nesse texto. Muitas vezes eu comparo a minha vida com a de outros que tem minha idade e está casado e com filhos kkkk Verdade temos que desacelerar. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, flor. Parabéns por compartilhar conosco esse texto. O autor parece ter uma grande sensibilidade quanto ao que faz parte dessa geração. Eu estou no vinte e muitos anos, quase trinta, mas perdi minha adolescência e início da juventude trabalhando. Trabalhando. Trabalhando. Sob essa constante pressão de corresponder às expectativas e de tentar viver enquanto trabalho. Complicado. Concordo plenamente sobre a necessidade de desacelerar.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Texto bem reflexivo e realista, temos tornado essa geração doente devido a cobrança exagerada, me pergunto como será com as novas gerações que estão crescendo por aí... A cobrança está vindo cada vez mais cedo, desde os primeiros passinhos "Ah, mas o meu filho andou com 9 meses e o seu cm 11 ainda nem deu um passinho?" As vezes parece que a vida virou uma competição, é o que pode mais ter e não o ser, que possamos aproveitar mais as coisas simples e lutar pelo que desejamos com calma e serenidade no dia a dia.
    P/s: mencionei criança pra falar de cobrança desde pequeninos.

    Beijo!
    Ana.

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Adorei o texto e pergunto: Quem nunca se perguntou como aquele funkeiro super famoso tem vários carros importados, mansão e tudo mais com 18 anos???
    Pois é, sempre vemos o resultado e não o caminho percorrido, mas dá certa raiva por tais coisas acontecerem. Me cobro muito e esses dias mesmo estava conversando com meu cunhado sobre os planos. Ahh os planos... tenho 26 anos e quando tinha 16 sonhava que com a idade que possuo já teria meu carro, minha casa e uma vida equilibrada... Doce sonho de quem não sabia como a realidade realmente é... rsrs
    Tive várias conquistas no caminho e pretendo várias outras, mas cada um tem seu tempo e na hora certa tudo acontecerá.

    https://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Eu estou passando por uma fase que estou me cobrando muito por aquilo que não tenho ainda, mas sei que não posso fazer isso. Tudo tem um tempo, e eu preciso aceitar isso. Gostei bastante do seu texto, bem reflexivo.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Gostei muito do texto , agora imagina vc pensar tudo isso com 47 anos, olhar para trás e pensar onde foi que me perdir? rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Me encontrei no texto várias vezes! Gostei muito mesmo, parabéns! <3

    ResponderExcluir
  12. Olá tudo bem?
    Já ouvi muito falar do Daniel e não é por menos ne? Que texto incrível. Intenso, inspirador, realista. Quem não viu a própria imagem nele uma ou duas vezes que jogue a primeira pedra hehehe. Beijos

    ResponderExcluir
  13. To super aplaudindo. Esse texto mostra minha realidade atualmente. Só faltei ter tido um surto no meio do ano por não ter realizado metade da minha lista de sonhos. Hoje to mais tranquila porque compreendi que não é assim que tudo funciona...
    beijos, beijos

    ResponderExcluir
  14. Oii
    texto ótimo! às vezes mesmo sabendo que precisamos desacelerar é difícil. Incrível como o tempo ficou curto e as cobranças e expectativas ficaram maiores. As responsabilidades estão chegando nos ombros das pessoas cada vez mais cedo.
    Bjus

    ResponderExcluir
  15. Eu acompanho os textos do Daniel a muito tempo pelo Entre Todas as Coisas. Lá já encontrei textos lindos, o que fez com que eu me apaixonasse pelo site e agora pelo livro que ele lançou recentemente. Mas não sabia que ele tinha textos no site que você cita...
    Vou lá dar uma olhada pois imagino que encontrarei outros textos tão lindos como esse que você escolheu para compartilhar por aqui :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  16. Oii!

    Realmente a gente se identifica com este texto rs Adorei! Vou olhar o blog dele.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Cath, sua linda, tudo bem?
    Gostei muito do texto dele. Minha geração, não sei se é a mesma dele, enfrenta muitos problemas de pressão, de ter que alcançar o que nossos pais alcançaram e muitos não conseguiram e muitos estão tendo problemas até hoje. Mas existe uma outro lado que não sofreu isso. Acho que sempre teremos os dois lados e todas as épocas. É muito do Destino de cada um.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oie, tudo bem? Texto sensacional este do Daniel, me identifiquei muito. Estou com 22 e numa crise insuportável comigo mesma.

    ResponderExcluir
  19. Que texto mais incrível menina, fiquei encantada mesmo e me encontro nessa etapa, nessa fase de querer tudo e ao mesmo tempo não conseguir nada, dá até um certo desespero.
    Abraços

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Eu acredito sim que essa é uma pressão criada pela nossa geração, que de algum modo quer ser totalmente independente e melhor que nossos pais. Eu confesso que não tenho nada hahaha mas vivo muito bem porque minha família não cobra nada disso de mim, por enquanto. Adorei a sua reflexão, seu texto ficou maravilhoso!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Impossível seria ler esse texto e não se identificar com ele. Era tudo que precisava para hoje. Obrigada =) bjs
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  22. Li o texto no seu blog original e acho que o Daniel conseguiu dar voz a muitas pessoas. Essa pressão é terrível, ninguém deveria ter que passar por isso
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  23. adoro o site, e esse texto ainda não tinha visto, porém mais um dos vários que já amo desse site

    ResponderExcluir
  24. Olá! Muito interessante sua ideia de sair do tema principal do blog de vez em quando, e muito bem escolhido esse texto para isso. Um abraço.

    ResponderExcluir

© REALITY OF BOOKS - 2012. Todos os direitos reservados.
Por: SHAIRA FOTO E DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo